5 de dez de 2016

Enem #2




Como prometido no post anterior, teríamos uma continuação. Infelizmente algumas provas foram adiadas por ter ocupação em algumas escolas. Mas decidi liberar esse post no dia seguinte ao ultimo dia das provas reagendadas, até porquê todos estariam/estão mortos de cansaço no segundo dia.

Se você não lembra de nada, leia aqui novamente a primeira parte desse post onde contei minha experiência com o ENEM. Mas sem dar a minha opinião. Agora é hora de por as garras de fora!

No ultimo post, parei na parte em que eu não sabia o que fazer, não tinha passado para Engenharia Química, e estava completamente perdida.

Uma pessoa da minha família se ofereceu para pagar um pré vestibular desses que duram o ano inteiro, então eu sai como uma desesperada procurando todos os melhores cursos do Rio de Janeiro em busca de uma bolsa. Todos que fiz prova saíram (com desconto) por volta de 600 a mensalidade. Na época era impossível de pagar tudo isso, a pessoa não me bancaria. Fora o dinheiro da passagem, alimento, os livros.

Não tinha bala na agulha queridos. Embora eu sempre tivesse estudado em particular, a época estava muito difícil monetariamente falando, e me faltavam coisas pessoais. Não tinha de onde tirar uns mil por mês para bancar tudo isso.

Aí que o inferno começou, eu não tinha passado pro curso que queria, minha mãe não queria que eu ficasse em casa ""atoa"" esperando o ENEM do ano seguinte, eu não queria trabalhar pois raramente quem começa a trabalhar para pra ir estudar, ou continua trabalhando, ou trabalha e estuda, não tinha bala na agulha pra pagar um pré vestibular (nem conhecia nenhum pré vestibular social), e estava com toda a família me cobrando respostas.

Te pergunto, como cobrar respostas de uma jovem que mal saiu da escola, já teve a enorme decepção de não ter passado num exame nacional que é cansativo e estúpido pra *******, e não sabia o que fazer? Se eu te contar que me falavam a longa história da minha amada madrinha que estudou dias a fio para passar num concurso público, e que ganhava tão bem que ajudou os pais a mudarem de vida? Eu me sentia burra e culpada! Pois minha mãe, divorciada que não trabalhava, meu irmão desempregado e eu num apartamento de herança estavam dependendo de mim passar para uma federal, numa merda de prova que com certeza você sabe a resposta mas vai errar pura e simplesmente a pressão que te causam. Desculpe queridos, eu não tinha maturidade para lidar com tanta bomba.

Eis que meus parentes se dividiram entre os que diziam para eu tentar novamente o ENEM e os que diziam para eu fazer uma faculdade particular com FIES. Como vocês sabem, se eu tivesse feito o FIES hoje em dia estava enrolada de dívidas até o pescoço. Eu fiquei mais perdida ainda, não se passava um maldito dia que eu não recebesse ligação de parente que eu nem sabia que existia me perguntando o que eu iria fazer e dando sua opinião.

Depois de muito estresse (preciso dizer que foi o meu pior ano?) eu decidi fazer mil provas de admissão em todas as particulares que tinham Engenharia, mesmo que não fosse a Química. Fiz um monte de provas. Mais provas.

Aí sentei comigo mesma, me olhei nos olhos e pensei/falei: "Carolina, você realmente quer desistir do seu maior sonho, que é fazer Engenharia Química por pressão dos seus parentes e por não achar uma resposta AGORA?Você quer lidar o resto da vida com uma carreira que você não gosta só pra não lidar com uma decisão difícil a ser tomada agora?" "Não". Minha palavra preferida é não, apenas constando...

Simplesmente rasguei toda a papelada que eu tinha organizado das faculdades e dos FIES e decidi procurar novamente as faculdades que ofereciam o MEU curso. MEU sonho. Ninguém sai.

E descobri uma faculdade que quase ninguém conhece. Num lugar bem escondido. Fiz a prova e passei. Fiz a matrícula. E hoje curso a faculdade que tanto sonhei. Sem FIES, sem ENEM, sem parente pagando cursinho. Tive que jogar tudo o que eu contava no lixo, renascer e repensar tudo novamente. Focar no que eu realmente queria.

Não vou te julgar se você queria medicina mas passou em outro curso e resolveu fazer pra não ficar atoa. Não vou te julgar se você queria direito mas resolveu fazer adm. Não nasci pra te julgar. Mas se você me perguntasse se é hora de desistir do que você sonha, eu te diria: não.

Não é minha palavra preferida, lembra?

Um comentário:

  1. Me desculpa dizer Lina, mas que paretaiada chata vc tem hein!!! Gostaria de ter lido esse post no ano de 2009, antes de entrar pra uma faculdade, me formar e no fim de 5 anos ter a sensação de ter perdido meu tempo... Que bom que vc se ouviu acima de todos, mesmo no meio de tanta pressão! a maioria das vezes é essa a opinião que conta, queria ter descobrido isso antes...
    Bjo lindona!!

    ResponderExcluir

Comente !