8 de out de 2016

Consumismo

Um projetinho super interessante levantado no grupo Season of the Witch (Altblogs), que propõe:

"Nessa última década o consumismo descartável cresceu absurdamente,por conta disso, pensei em um projeto que é basicamente resumido em uma frase: "Porque eu pratico o consumo consciente"-que consiste em dizer porque achamos necessário o consumo de forma prática,e o que cada uma de nós fazemos para consumirmos de forma correta e sem desperdícios"
 Bem, faz tempo que tenho conversado com vocês aqui sobre esse consumismo todo que ronda o mundo dos blogs. Eu sinceramente pretendo levar meu blog para outro nível, que não seja apenas uma distração. Mas eu vejo esse hype tão grande em recebidos, presentinhos de lojas e marcas, cheios de novidades e penso: Onde tanta coisa vai parar?

Pode não ter acontecido isso com vocês mas quando eu comecei a me maquiar há uns 4 anos atrás eu via encantada videos de blogueiras que se achavam maquiadoras usando mil produtos, videos de recebidos com milhares de coisas e ficava encantada, queria aquilo pra mim (sejamos sinceras, meus olhos brilhavam com tanta coisa). E aí começou um grande problema, eu comecei a comprar, comprar comprar. E isso é ruim! Além do fator financeiro ( o mundo inteiro está em crise econômica), eu não preciso de tanta coisa!

Que o leitor entenda a aplicação do termo "preciso". Eu não preciso de 20 bases só por que fulana blogueira tem 20 bases que ela não pagou um centavo pra ter. Não desmerecendo o trabalho que ela teve até as marcas se interessarem em enviar produtos para ela, mas nem ela usa aquilo (se caso ela seja apenas blogueira, não uma maquiadora, ela não usa 20 bases). Pensa bem, você tem um rosto só! O máximo que você precisa é de um BB Cream, ou uma base mais leve pro dia a dia e uma base mais pesada. Quando vier o inverno e sua pele mudar de cor, você até pode comprar um produto coringa pra clarear ou escurecer seu tom no verão, ou até apostar nas bases com a proposta da Matchmaster (se adapta ao tom da sua pele, ou seja, vai te servir tanto no teu bronzeado do verão como na sua palidez do inverno). Digo isso com fervor pois eu já tive a Matchmaster, ou seja, o mínimo necessário.

E essa história de o mínimo necessário não vai te fazer repetir as coisas sempre, aliás todo mundo tem máquina de lavar em casa ne? Usou, lava, e está pronto pra ser usado de novo.Quantas pessoas eu vejo na minha convivência dia a dia que nem repetem roupa, fico imaginando o tanto de roupa elas tem em casa, com tanta gente precisando de um casaco no frio. A desigualdade é implacável.

Uma coisa que tenho colocado em prática na minha vida este ano é: só compro algo se tiver algum tipo de urgência, OU se tiver acabado. E tento raramente fugir disso. As únicas vezes que entrei em lojas de roupas esse ano foi para comprar roupa para os casamentos que fui convidada, pois eu não tinha roupa para essa ocasião. E repetiria se a primeira roupa não tivesse enorme em mim (não deu tempo de apertar até o outro casamento).

Sapato a mesma coisa, só comprei pois meu all star de 4 anos estava pedindo arrego. E pretendo continuar assim.

Os benefícios são inúmeros: o primeiro é que você não precisa de tudo o que tentam te convencer que você precisa.
Segundo: imagina a economia e a alegria de usar as coisas até o final antes de você cogitar em comprar outro?!
Terceiro: menos consumo= menos lixo = menos poluição.
Quarto: reutilizar ou dar outros fins as coisas que você já tem, além de ser muito satisfatório, economiza espaço e $$.
Quinto: se você decidir doar seus excessos, vai fazer a vida de muitas pessoas sem condições mais alegre.

Te juro que você não vai morrer se pensar melhor antes de comprar!

Instagram ~ Twitter ~Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente !