24 de abr de 2016

Culpa é meu terceiro braço

Não sei se acontece com vocês mas eu me sinto muito culpada até pelo que eu não fiz ou não depende de mim. Vezes que sei que dei o meu melhor, fui verdadeira, fiz minha alma ser pregada ali e ao mesmo tempo sinto que faltou algo.

Por vezes isso é a melhor coisa em mim, pois tenho nojo quando vejo pessoas podendo fazer muito mais e não fazem nem a metade. Não posso cobrar o melhor dos outros, não posso cobrar amor nem reciprocidade, mas posso escolher quem anda do meu lado ou quem vou me abrir.

Por vezes sinto que eu fiz meu melhor, dei meu tudo, principalmente em relação à pessoas que considero, mas ao mesmo tempo me sinto culpada. Talvez algo que minha mente não alcançou ou algo que não fui sensível demais para perceber...

Mas como eu poderia ser além se ninguém nunca vai alcançar a perfeição?

No excesso de tanta cobrança e de tanta culpa, fico aérea, penso demais, calculo demais e deixo de sentir. Quando sinto, sinto demais, explodo demais, exponho demais.

Até aonde seria meu limite. Será que ele não é claro? Até aonde preciso pedir socorro? Será que não sou percebida?

Sinto que estou sendo sugada a maior parte do tempo e que nunca haverá alguém genuinamente disposto a ver o quanto estou exausta da convivência, das cobranças, de sempre estar aparentemente disposta a ajudar e desfazendo por dentro.

Novamente a culpa bate a porta e me pergunta mil coisas do meu passado. Até quando?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente !