29 de jun de 2013

(Proposta de redação UFMG 2008)

  É mais fácil pensar no agora do que pensar no futuro.Se quer respostas rápidas, efeitos rápidos mas não se pensa no amanhã.Extrai-se petróleo como se fosse algo abundante,interminável.Polui-se como o dióxido de carbono fosse goza da riqueza esbanjada com futilidades.Crianças em lugares remotos são obrigadas a trabalhar para que tenhamos o tal utra mega power computador,para que tenhamos o mais novo lançamento  em tênis.Para que precisamos de tantos avanços se eles só são para praticidade? Pode-se viver sem isso,senão a vida na terra teria surgido junto com a criação dos chips utra velozes.
  Se alguém que vivia na Idade Média pudesse voltar a vida,quão grande deveria ser o desprazer de ver o mundo tão corrupto e destruído do jeito que está. Mas há um belo número de pessoas que se revoltam contra isso,que querem que a natureza, esta sim, domine o cenário atual.Pessoas que desejam que haja paz e justiça. E que anseiam por dias melhores.A primeira figura representa tudo isso, toda essa indignação com toda essa poluição gerada inutilmente e que os países como EUA e China julgam ser necessárias para o seu desenvolvimento.Tanto, que se negaram a diminuir suas emissões de carbono na atmosfera.
  A segunda imagem mostra a esperança por dias melhores,o anseio por um mundo menos artificial.O personagem pinta um quadro com paisagem natural, mas está rodeado por prédios, o que sufocou a paisagem natural e, que obrigou aos engenheiros e construtores a derrubá-las."Morte ao natural e viva ao gasto não liberado" é o lema atual que gritam as empreiteiras.
  O que pode ser feito? Como se pode mudar o estado atual da mentalidade humana, cada vez mais louca,insegura e destruidora. Muda-se o curso de rios,desmata-se,polui-se, todavia para o bem estar total? Não,para produzir mais e mais.Para incentivar a compra absurda.Talvez nem estejas morto quando tivermos o grande boom, quando não se tiver mais ar,nem água potável.Aqui se planta, aqui se colhe. Ops, perdão, não se tem mais onde plantar,só industrias.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente !