21 de jan de 2017

Rumor: Perfeccionismo, metas e 2017




Acho que algo que sempre me motivou mais ainda a ser perfeccionista (no nível nocivo) é saber que existiam pessoas que me odiavam. Aqui não cabe dizer se elas tinham razão ou não, apenas a silhueta de alguém que me odiava. Eu não queria falhar perante a elas, não me permitia sair de um salto perto delas. Para mim, na frente de quem me odeia, eu sempre teria que estar nos trinques.

Ledo engano, que me levaria a vários surtos de nervoso um tempo depois. Imagine uma jovem nos seus 19 anos tendo surtos de nervoso. E cada dia mais um certo tipo de gente leva essa mensagem à frente, que você não pode se permitir errar perto de quem te odeia, não ter que dar esse gostinho à eles.

Primeiro que isso revela que tudo ~ou quase tudo~ você tem feito com as motivações erradas, para enganar e/ou competir com pessoas nocivas a tua saúde. Olha que loucura: "sempre mantenha um sorriso no rosto". Então quando você tiver perdido um ente querido você tem que se forçar numa felicidade para não parecer fraca perante a certas pessoas? E o teu direito de sentir? Tu anula pra ficar numa eterna guerrilha com pessoas que só sugam tua vitalidade? É IRRACIONAL.

Eu não sou perfeita, e nunca serei. Faz parte do ser humano o erro, a falha, o engano. Todos nós, se ao menos nunca passamos por isso, passaremos. Faz parte do teu corpo carnal, dos desejos, anseios humanos. Como eu, sabendo disso tudo, vou querer criar uma casca de perfeição que nem me agrada?

Outra problemática do perfeccionismo mal embasado, é exatamente a tua própria vitalidade. Você a perde. O gosto pela vida, pela descoberta. O se permitir. Uma das coisas que mais tenho nojo nessa vida é o tipinho que deixa de fazer o que gosta, de ser quem é para viver de aparência. Aposto que você já ouviu que no facebook todo mundo é feliz, no instagram todo mundo é bonito. E quem são essas pessoas? Elas não transmitem realidade, são escravas da opinião alheia.

Por isso em 2017 eu desejo que minhas metas tenham realidade, estejam bem fundamentadas, que eu entenda o inicio, o meio e o fim das coisas cujo me proponho a iniciar. Que eu passe por todas essas fases plena, sem loucuras. Que 2017 seja um ano de sabedoria. Que 2017 seja um ano de trabalho.

4 comentários:

  1. Penso parecido...
    Não coloquei muitas metas para mim este ano, justamente porque quero dar continuidade e concluir, sabe? Quero começar e levar até o fim ^^

    ResponderExcluir
  2. Acho um bocado perigoso essa generalização, embora concorde em partes. Nem tudo é o que parece, não somente na internet, como na vida real também. E o modo como interpretamos isso tudo diz mais sobre quem somos do que as pessoas em si, afinal, cada um sabe onde o sapato aperta, cada um escolhe como quer se comportar com relação às outras pessoas, ao mundo. Demonstrar empatia também é uma escolha, ao meu ver! Boa sorte nas suas metas, moça! Manda ver que no fim, dá tudo certo! Beijão! :3

    4sphyxi4.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não entendi seu ponto de vista mas obrigada pelo apoio! Beijoss

      Excluir

Comente !